Quinta, 19 de Maio de 2022

Poucas nuvens

Ponta Grossa - PR

Blogs e Colunas Leon Magno

As mulheres no volante e os perigos da profissão

Análise de temas ligadas ao livro – LEON MAGNO Onde a lei não alcança – Cap. VI

11/01/2022 às 09h02 Atualizada em 28/01/2022 às 14h05
Por: Antonio Ribas
Compartilhe:
Reprodução/Freepik
Reprodução/Freepik

FICÇÃO

 

“Após entender que não queria mais colocar pessoas em risco com a revelação de seu segredo, Leon Magno resolve não aceitar a carona de Augusto Torres para Recife, mas aceita a carona de outro “caminhoneiro”. No entanto, ele fica sabendo que trata-se de uma caminhoneira, mas como não é homem de preconceitos, ele viaja junto com Abigail Pastore, que prefere ser chamada de Lila, até Recife, e passam muitas horas, conversando, rindo e passando por alguns problemas na estrada. Ela é viúva e tem residência na cidade de Ponta Grossa no Paraná, onde tem uma filha casada e uma netinha.

A história de Lila, que seus conhecidos na estrada a chamam de Pastora, por colocar os homens que a assediam na “linha”, mexe com Leon Magno que mais uma vez arrisca sua vida para salvar a vida e o patrimônio da sua nova amiga caminhoneira.” 

 

REALIDADE

 

De acordo com o Ministério das Cidades, em 2020 havia perto de 160 mil mulheres aptas a conduzir caminhões no Brasil, mas nem todas estavam contratadas ou trabalhavam como autônomas na direção de um bruto.

Hoje com a diminuição da necessidade de grande força para se conduzir um caminhão, com os comandos semi ou automáticos, direção hidráulica e a mão de obra barata dos “chapas” para carga e descarga de mercadorias, mais mulheres estão se introduzindo nessa profissão que há poucas décadas era exclusividade masculina.

As mulheres entram nessa profissão por vários motivos e o mais comum, é mesmo a liberdade financeira. Com fretes mais curtos e cargas menores, o que faz com que a motorista não precise ficar mais do que dois ou três dias na estrada, facilita muito essa ruptura de paradigma, porque inclusive as mulheres casadas e com filhos podem permanecer na profissão com algum planejamento, no que convenhamos, as mulheres são melhores nisso do que os homens.

A nossa caminhoneira de Ponta Grossa, a Lila, entrou na profissão por outro motivo, seu marido havia comprado um caminhão financiado e após seu falecimento, ela tinha duas opções: ou entregava o caminhão para o banco e perdia o que já pagou ou assumia a dívida e seguia na profissão.

Ela tomou a decisão de continuar na estrada, e como suas despesas eram grandes, assumiu fretes mais longos e com compensação financeira maior. Como consequência disso, ela se acostumou a grandes viagens e mesmo após liquidar o financiamento do caminhão, contratava fretes mais longos e assim continuava por semanas ou até meses na estrada e longe de sua família, já que os fretes são sempre contratados ao final de cada entrega.

As tentaivas de assaltos como acontece nessa viagem com seu carona LEON MAGNO, e aos assédios dos quais ela comenta com ele na estrada, são os grandes  perigos para as mulheres, que podem perder cargas, o próprio caminhão ou pôr em risco suas vidas.

Hoje já existe a conscientização dos homens e até mais punição para ao assédio tanto moral quanto sexual, que pode levar até a prisão dos infratores, mas, de qualquer forma, esse é um caminho sem volta. As mulheres estão no volante pelas estradas brasileiras, não só embelezando a profissão e dando mais charme a esse nicho antes masculino, mas também mostrando que ambos podem conviver serena e civilizadamente, desde que se respeitem e demonstrem respeito uns pelos outros.

 


Para conhecer mais sobre essa história, adquira e leia o livro – “LEON MAGNO Onde a lei não alcança” – autor – Antonio Ribas (Ed Viseu 2019).

Acesse o site www.antonioribas.net.br e saiba como adquirir.

Disponível no Stand de Livros do Restaurante Panaorâmico Vila Velha.

 

As opiniões emitidas nas ‘colunas e blogs’ não refletem necessariamente a opinião editorial do comVc portal.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Antonio Ribas
Antonio Ribas
Sobre Antonio Ribas tem 61 anos, é casado com Marli, e tem 4 filhos e uma neta. É escritor e empresário. É também cantor religioso e missionário, e durante mais de 30 anos atuou em trabalhos na Igreja com a formação de jovens e de casais. Há pouco mais de 5 anos iniciou sua carreira de escritor com a publicação de um romance policial chamado - LEON MAGNO Onde a lei não alcança (2019 Editora Viseu) – e tem outro livro – MAHY-RA Uma lenda na Amazônia - que será publicado em meados de 2022.
Ponta Grossa - PR Atualizado às 08h46 - Fonte: ClimaTempo
Poucas nuvens

Mín. Máx. 16°

Sex 18°C 4°C
Sáb 20°C 6°C
Dom 20°C 8°C
Seg 21°C 11°C
Ter 20°C 11°C
Enquete