Stocco pede ajuda do Ministério Público para abertura de novos leitos em PG

 Stocco pede ajuda do Ministério Público para abertura de novos leitos em PG

Com fechamento da UPA do Santa Paula, vereador do PSB cobra abertura imediata da UPA Santana e contratação de reforço para a saúde

Das assessorias

O vereador Geraldo Stocco (PSB) enviou na tarde desta quinta-feira (11) um ofício ao Ministério Público do Paraná (MP-PR) pedindo que o órgão auxilie na cobrança pela abertura de novos leitos para Ponta Grossa. O pedido de Stocco também ressalta a necessidade emergencial da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Santana, anunciada desde 2020, ainda no período eleitoral. 

No documento enviado à Promotoria de Proteção à Saúde, Stocco cita o fechamento da UPA do Santa Paula na noite desta quarta-feira (10) como um “sinal” de que o “o caos se avizinha” do sistema de saúde ponta-grossense. “Notamos que os profissionais de saúde já passaram dos limites, os hospitais estão sobrecarregados e o Poder Executivo é lento para agir”, afirma o parlamentar do PSB.

Stocco lembra ainda que neste momento de avanço da pandemia é preciso foco à Prefeitura na hora de fazer investimentos. “Os gestores têm que parar de investir em demandas que não são tão fundamentais neste momento e aplicar o dinheiro na saúde. Desde o começo da pandemia, há um ano, cobro a compra de EPIs, de testes e agora estamos cobrando leito”, salienta. 

No mesmo documento, Stocco pede a ajuda do Ministério Público para que a Prefeitura reforce o quadro de pessoal que atua na Saúde. “Esses profissionais estão há um ano sem férias, trabalhando em um ritmo insano e, neste momento, é esperado que eles apresentem sinais como cansaço”, disse Geraldo. O vereador lembrou que os próprios dados da Prefeitura, que revelam um enorme aumento na procura pelos serviços de saúde, reforçam a necessidade de contratação de mais pessoal para o setor. 

O vereador do PSB destacou que enviou ofício ao Ministério Público confiando no apoio do órgão. “O próprio MP nos apoiou em outras demandas e outras cobranças que fizemos à Prefeitura. Neste momento extremo, precisamos pedir o apoio de instituições como o Ministério Público que são orientadas pelo interesse coletivo”, avalia Geraldo Stocco.

Informações e imagens: Divulgação/Assessorias

Digiqole ad

Notícias Relacionadas