24 de setembro de 2021

(42) 99838-3791

Últimas notícias

Relíquias de São João Paulo II chegam dia 18 em Castro

 Relíquias de São João Paulo II chegam dia 18 em Castro

Missa de acolhida em Castro será com dom Sergio Braschi no local onde está sendo construída a nova matriz da Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro

Com assessorias

A missa de acolhida das Relíquias de São João Paulo II acontecerá no próximo dia 18, em Castro, no local onde está sendo construída a nova matriz da Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro. A missa será celebrada às 19:30, pelo bispo Dom Sérgio Arthur Braschi. O Padre Cristiano Marcos Rodrigues, pároco da Igreja, é o responsável por coordenar o processo da vinda das relíquias de São João Paulo II.

“Estamos rezando, fazendo os preparativos. Depois da acolhida, haverá um encontro com os jovens e integrantes da Comunidade Shalom, no dia 21. No dia 29, a relíquia será levada para a Comunidade de São Sebastião, no Maracanã, e em dezembro, em todas as missas que eu celebrar, eu a levarei. Ela vai percorrer todas as comunidades da paróquia”, detalha o Pe. Cristiano. Posteriormente, a relíquia será disponibilizada a todas as paróquias de Castro.

Para o pároco, o momento é de festa. “Faremos missas, rezaremos o Santo Terço, tudo para agradecer a presença de São João Paulo. Será uma grande festa, preparada pela comunidade para comemorar a chegada das relíquias, que estavam sendo tão aguardadas. Convido a todos, que puderem estar conosco, para que estejam celebrando essa grande graça”, ressalta.

Desde o início de outubro, as relíquias estavam em posse de Kinga Senczyk, amiga polonesa do padre Thiago Rangel Cardoso, da Congregação de Sion presente em Castro. Sabendo da intenção do Pe. Cristiano de construir a nova matriz, o Pe. Thiago presenteou a Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro com as relíquias, fazendo toda a intermediação junto a Arquidiocese de Lviv, na Polônia.

“Para consagrar o altar de uma igreja é bom que se tenha uma relíquia. E o padre Thiago me ofereceu uma relíquia de terceiro grau que ele tinha para colocar na nova matriz. Mas, ele tinha também o contato de uma moça, lá na Polônia, que poderia conseguir uma relíquia para nós de primeiro grau. Então, foi feita a solicitação”, explica o pároco.

O processo para a vinda das relíquias tramita desde julho. A única exigência da Arquidiocese de Lviv é que as relíquias não fiquem na mesma cidade. Por isso, elas serão enviadas também para as paróquias São Miguel, de Irati, de forte presença polonesa, e São José, de São Paulo, onde está a casa da Congregação de Sion.

Imagens: Divulgação/Diocese PG

Digiqole ad

Notícias Relacionadas