Reconstrução do muro do Colégio Epaminondas segue paralisada após seis meses

 Reconstrução do muro do Colégio Epaminondas segue paralisada após seis meses

Muro do colégio localizado na Palmeirinha foi danificado em outubro de 2020, por conta de obras numa praça nos arredores

Por Cícero Goytacaz

Os danos causados na estrutura do Colégio Estadual Dr. Epaminondas Novaes Ribas, na vila Palmeirinha, ainda não foram consertados, segundo relatos de moradores região do bairro Boa Vista, zona norte de Ponta Grossa. O estrago no muro da instituição de ensino ocorreu em outubro de 2020, quando começaram as obras na praça situada nos arredores da instituição de ensino..

“(O muro) não foi consertado, tudo segue na mesma, bem como as duas pontes no acesso com a Vila Isabel”, relata o morador Ricardo*. As obras de ligação entre as Vilas Palmeirinha e Isabel, regiões do bairro Boa Vista, zona norte de Ponta Grossa, encontram-se paralisadas. O local está em condições precárias e o processo de pavimentação das ruas Arapongas e Maringá foi interrompido há mais de quatro meses.

“Indignação total, não chega a obra das pontes e ainda acabaram com nossa praça”, complementa o morador Gilberto. O projeto também previa a construção de um campinho de futebol na praça, que conta com ginásio de esportes e parque infantil. De acordo com os moradores, o campinho também não foi entregue.

Prefeitura se manifesta

A Prefeitura Municipal de Ponta Grossa informou, por meio de sua assessoria, que nos próximos dias a empresa responsável pelas obras se compromete a iniciar a reconstrução do muro do Colégio Epaminondas. “Para a construção do campo de futebol e do parque infantil, a Prefeitura de Ponta Grossa aguarda a liberação de recursos por parte do Governo Federal, que teve o orçamento da União aprovado recentemente”, acrescenta.

A obra já está licitada e a contrapartida da Prefeitura também já foi paga, restante pendente apenas o repasse federal para que seja autorizada. “O Setor de Convênios, da Secretaria da Fazenda, informa que o Município já efetuou o depósito da contrapartida, como também, que a empresa responsável pela obra já está licitada. Porém, por ter um contrato de repasse firmado com a Caixa, que é a interveniente executora, necessita da verba federal para autorizar o início da obra”, completa a Prefeitura.

*Os nomes foram trocados a pedido dos entrevistados.

Confira como está a situação da ligação entre a Palmeirinha e a Vila Isabel:

Imagem: Reprodução/WhatsApp.

Digiqole ad

Notícias Relacionadas