Programa irá auxiliar pequenos empresários de sete bairros de PG

 Programa irá auxiliar pequenos empresários de sete bairros de PG

Desenvolvido pela ACIPG, Programa de Desenvolvimento Econômico ajuda a impulsionar negócios fora da região central do município

Das assessorias

O Programa de Desenvolvimento Econômico (PDE), desenvolvido pela Associação Comercial, Industrial e Empresarial de Ponta Grossa (ACIPG), tendo como apoiadores a Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) e Universidade Tecnológica do Paraná (UTFPR) retomou suas atividades este ano e está expandido suas ações, atingindo mais bairros do município. 

O PDE tem como principal objetivo impulsionar os negócios de pequenos e médios empreendedores em bairros de Ponta Grossa, e após iniciar como projeto piloto no Parque dos Pinheiros já tem atuação em sete regiões da cidade.

Dentro da metodologia do programa, é feito o convite aos empreendedores (formais e informais) locais e em seguida é realizada uma reunião cujo objetivo principal é iniciar a conversa e deixá-los à vontade para que juntos encontrem formas e ideias para melhorias de seus negócios. “Nosso papel lá é de apenas garantir a correta aplicação da metodologia e servir de apoio quando os mesmos acreditarem que precisam da nossa ajuda” comenta o coordenador do PDE, Sérgio Ditkun.

Desde que o projeto iniciou, em fevereiro de 2020, muitos avanços já foram verificados e a expectativa é que nos próximos meses um aplicativo que está sendo desenvolvido em parceria com a UTFPR venha para impulsionar ainda mais o programa e os negócios nos bairros. “Começamos o planejamento em fevereiro, e por conta da pandemia houve uma pequena travada, e em setembro começamos o projeto piloto no Parque dos Pinheiros, estendemos para outros bairros e hoje já são sete bairros contemplados (Parque dos Pinheiros, Vila Palmeirinha, Vila Isabel, Santa Mônica, Vila Ipiranga, Tânia Mara e Pitangui). Após a identificação de lideranças, agendamos dinâmicas, que consistem em uma hora de reunião. Usamos o modelo Empreender, que em sua metodologia da excelência de gestão inicia em identificar primeiramente o propósito deles se reunirem, e dentro deste propósito, desenvolver o planejamento que atenda ao interesse coletivo”, explica. 

APLICATIVO

O aplicativo que vem sendo desenvolvido pretende reunir em um cadastro os negócios disponíveis no bairro, e o cliente, ao acessá-lo por meio do CEP, tem à sua disposição aqueles serviços que estão mais próximos. “O empreendedor, formal informal, irá fazer cadastro no aplicativo informando qual serviço oferece. E se eu preciso de um pintor, por exemplo, o app vai mostrar quem oferece este serviço próximo da minha localização. Ele abre a possibilidade de ser visto e esta pessoa sabe que no bairro tem profissionais para atender às suas demandas”, explica Ditkun.

O PDE atua na forma de núcleos multissetoriais, agregando negócios de diferentes setores, e busca encontrar pontos em comum entre os empresários, para que façam com que as vendas sejam impulsionadas dentro do bairro. “O grande desafio é encontrar algo em comum, esta espinha dorsal. Existem empreendimentos de diversos ramos e a busca é por esse algo comum que faça com que eles ganhem dinheiro e também façam negócios entre eles”, detalha o coordenador do PDE. 

CAMPANHAS

Em alguns bairros a alternativa encontrada pelos comerciantes locais foi criar campanhas, como por exemplo, de Natal. No final de ano empreendedores da Palmeirinha se uniram e criaram incentivos para o consumo local. A iniciativa deu certo e se repetiu agora com uma campanha para a Páscoa. 

Aline Kovalski Nunes, proprietária do A. Stúdio de Criação, que atua com design gráfico e marketing digital, integra o projeto, e chegou até o núcleo que atua no bairro da Palmeirinha por meio de sua cunhada, que já integrava o projeto. Ela conta que o PDE auxilia na aproximação dos empresários do bairro, que com a iniciativa passaram a conhecer os serviços oferecidos na região.  

Ela conta que a experiência na Páscoa trouxe benefícios aos empreendedores da Palmeirinha, sobretudo por conta da visibilidade que os empresários passaram a ter a partir da campanha realizada no bairro. “Em março tivemos a ideia de promover um sorteio de uma cesta de Páscoa no Facebook, no qual estão participando 11 empreendedores da região, uma das participantes trabalha com a fabricação de chocolates artesanais e se prontificou para produzir a cesta, o restante dos participantes entraram com a ajuda de custo que foi igualmente divido para cada um. Para a realização do sorteio, estabelecemos algumas regrinhas, as pessoas que quiserem concorrer à cesta devem curtir todas as páginas dos patrocinadores, marcar dois amigos e compartilhar publicamente a foto oficial do sorteio”, explica. “Desse modo já fomos beneficiados com uma grande exposição dos nossos empreendimentos e com um aumento considerável no número de curtidas nas nossas páginas. Inclusive, eu já consegui alguns trabalhos por conta dessa movimentação, e creio que alguns dos outros participantes também”, complementa.

A união entre os comerciantes é um fator importante destacado pelos participantes do PDE, e com os empreendedores atundo em conjunto acaba fortalecendo a economia do bairro. “Nas últimas reuniões nós estivemos buscando um propósito em comum para o grupo, até que ontem chegamos na frase: “A união que gera mais negócios e mais renda para os empresários formais e informais da Palmeirinha e da Vila Isabel”.  A partir daí, podemos pensar que esse projeto pode nos ajudar promovendo a cooperação entre esses empresários da região, dando prioridade em adquirir algum produto ou serviço local”, diz Aline. 

Silvana Canabarro é comerciante no bairro do Parque dos Pinheiros, proprietária do Mr. Dog, e também enaltece o projeto e aponta os benefícios que ele trouxe para os estabelecimentos da região. “Penso que estamos aqui tendo uma enorme oportunidade de alavancar nosso trabalho, formal ou informal, sendo nosso objetivo crescer profissionalmente. Acredito que todos temos condições de nos tornarmos conhecidos entre nós, na nossa comunidade e porque não, em nossa cidade”, diz. “Desde que iniciei nesse projeto mudei completamente minha visão em relação ao trabalho informal. Esse projeto está proporcionando a mim e alguns comerciantes locais um entendimento e esclarecimento melhor de como fazer as coisas. Para mim ajudou muito na questão de “coragem para fazer as coisas acontecerem”. Estou conseguindo aos poucos crescer”, complementa.

“A ACIPG acaba mobilizando essas pessoas, de comércios formais e informais, gerando um desenvolvimento local, que é um dos projetos da ACIPG. Com isso a associação está cumprindo seu papel de assistir ao empresário, e sobretudo aquele que está no bairro, que antes via a ACIPG tão distante, agora vê ela mais próxima”, conta Sergio Ditkun. 

O PDE hoje reúne cerca de 30 pessoas no Parque dos Pinheiros, mesmo número verificado nos núcleos da Palmeirinha e da Vila Isabel, no Santa Mônica já são 15 participantes. Caso algum bairro tenha interesse em participar do programa, o comerciante, ou uma liderança da região, deve procurar a ACIPG que irá designar uma equipe do PDE para traçar um planejamento para desenvolver o programa naquela área.

Informações e imagens: Divulgacão/ACIPG

Digiqole ad

Notícias Relacionadas