Programa Agrinho premia alunos e professoras de PG

 Programa Agrinho premia alunos e professoras de PG

Nove alunos e professores da rede municipal e três da particular foram premiados pelo programa do Senar/PR, incluindo prêmio estadual de melhor prática pedagógica

Das assessorias

Alunos e professores de Ponta Grossa receberam nesta quinta-feira (10) as premiações do Programa Agrinho 2020, realizado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural no Paraná, o Senar/PR. Nove alunos e professoras da rede municipal foram premiados por seus trabalhos, concorrendo com todo o Estado. Dois alunos e um professor da rede privada também tiveram seus trabalhos reconhecidos. A entrega das premiações foi realizada na Secretaria Municipal de Educação (SME).

O presidente do Sindicato Rural de Ponta Grossa, Gustavo Ribas Neto, destaca que nos últimos anos houve uma mobilização muito forte da SME para que houvesse participação em peso das escolas da cidade – aprendizado dos alunos que se reverteu em reconhecimento. “Por isso nos últimos anos ganhamos várias premiações. Nosso nome estava apagado nas edições anteriores do programa e nos últimos anos ele ficou em destaque em todo o estado. O fato é que nós ganhamos mais uma vez e vamos ganhar novamente. Parabéns a todos os profissionais e alunos envolvidos nesse projeto”, afirma Ribas Neto, que destacou a grande qualidade dos trabalhos desenvolvidos.

Segundo a secretária de Educação, professora Esméria Saveli, as possibilidades de trabalho pedagógico proporcionadas pelo Programa Agrinho fizeram com que ele ocupasse um espaço importante na programação das escolas. “Para nós o Agrinho está inserido no plano político pedagógico das escolas, por todo o potencial que oferece e por representar um estímulo muito relevante para os nossos professores trabalharem os temas abordados junto aos alunos”, anota Esméria.

Melhores práticas pedagógicas

Todos os trabalhos foram realizados por professores e alunos de maneira remota. As professoras trabalharam com os alunos por meio de vídeos, textos e encontros online.  A professora Maureen Daiane da Mota, da Escola Municipal Haideê Ferreira De Oliveira, recebeu o Prêmio Estadual de melhor Prática Pedagógica. Ela criou um telejornal com o tema ‘Combate à Dengue’, transmitido pelo Youtube. Os alunos elaboraram conteúdos que se transformaram em um jornal entregue à comunidade. A professora recebeu como prêmios um notebook, tablet e projetor multimídia.

“Os alunos estudaram os gêneros jornalísticos e produziram diversos conteúdos. Enviavam para a escola, eu corrigia e transformava em um jornal que era entregue aos pais na retirada das atividades”, conta a professora. Ela atestou o aprendizado por meio das atividades e acredita que os alunos não esquecerão da experiência. “O Agrinho é um projeto que marca muito. Os alunos vão levar esse aprendizado que tiveram durante a pandemia. Eles se viram nos mercadinhos do bairro, viram seus nomes expostos nos locais e entenderam que estavam fazendo um bem para a comunidade. Estarão sempre olhando com carinho para esta questão”, conta Maureen.

Além de Maureen, outros alunos e professores receberam tablets. Pela Escola Cyrillo Domingos Ricci, foram premiadas a professora Maira Graboski e sua aluna Thaylla Rafaely Machado, além de Eliane Aparecida Hilgemberg Silva e sua aluna Scarlett Souza da Rosa Los e a professora Jessica Aparecida Prestes, com sua aluna Luiza de Ávila. Pela Escola Municipal Agenoridas Stadler, a premiada foi a professora Franciele Aparecida Carneiro Stefanelli, com seu aluno Yudi Raphael de Almeida Reju. As crianças foram premiadas pelas suas redações.

Pela rede privada o professor Igor Alberto Dantas Abrami, do Colégio Alpha, também foi premiado com seus alunos Leonardo Fegert, do 6º ano, e Pedro Henrique Farina dos Santos, do 8º.

Campanhas Agrinho 2020

A edição 2020 do Programa Agrinho foi cancelada devido à pandemia do novo coronavírus. Mas, para continuar incentivando a educação, os personagens da Família Agrinho estiveram engajados nas campanhas “Todos Contra a Dengue” e “Agro pela Água”, promovidas pelo Sistema FAEP/SENAR-PR. Ambas as campanhas foram realizadas de forma remota e digital, com o uso de materiais didáticos específicos sobre os temas. Também foram disponibilizados vídeos e um jogo eletrônico.

Informações e imagens: Divulgação/PMPG

Digiqole ad

Notícias Relacionadas