Profissionais de Ed. Física buscam reconhecimento da atividade como essencial

 Profissionais de Ed. Física buscam reconhecimento da atividade como essencial

Exercício físico regular ajuda na prevenção de doenças e colabora com o desafogamento do sistema de saúde durante a pandemia do Covid-19

Das assessorias

Profissionais de Educação Física de Ponta Grossa formam Liga Desportiva em busca de representatividade para reivindicar direitos do setor. O primeiro objetivo da Liga é pleitear a aprovação do Projeto de Lei Municipal nº 022/2021, que reconhece a prática de atividades e exercícios físicos como essenciais para a população em momentos de crise, como a pandemia. O Projeto prevê a liberação de atividades em espaços públicos e em estabelecimentos prestadores de serviços destinados a essa finalidade, respeitando as normas de segurança dos órgãos de saúde. O abaixo-assinado promovido pela Liga dos Profissionais de Ed. Física para aprovação da Lei já conta com mais de 3.1 mil assinaturas de apoiadores. 

O setor é reconhecido como segmento da área da saúde pela Constituição Federal, no entanto, é o único não reconhecido como essencial durante a pandemia em Ponta Grossa. “Nós atuamos na área da saúde preventiva, colaborando não só na prevenção e tratamento de doenças crônicas, como também colaboramos para que os acometidos pela Covid-19 não venham a ter sintomas graves da doença”, explica Vitor Hugo Borin Oliveira, representante da Liga e professor de Ed. Física. 

A primeira reunião da Liga foi realizada online no dia 23/03/2021. O grupo, que está em fase de formalização, já conta com a participação de mais de 50 profissionais da cidade.

Atividade age na prevenção e recuperação de doenças

Assim como a fisioterapia – setor reconhecido como essencial pelo Governo do Paraná em janeiro de 2021 pela atuação na linha de frente no enfrentamento ao coronavírus – a atividade física promove a prevenção, tratamento e recuperação de doenças. Além dos resultados físicos, os profissionais da Liga também apontam os benefícios psicológicos da atividade. “Manter nosso setor parado significa deixar de prestar um serviço que promove a saúde, o que a médio prazo pode gerar o desenvolvimento de doenças crônicas em uma grande parcela da população que então vai precisar do sistema de saúde, aumentando a demanda dos hospitais que já estão saturados devido ao coronavírus”, aponta Eduardo Felipe Franco, representante da Liga e professor de Ed. Física. 

O grupo se baseia em estudos científicos da área que demonstram como o exercício físico estimula o sistema imunológico, evitando o agravamento de diversas doenças, incluindo a Covid-19. O objetivo dos profissionais é manter um trabalho contínuo com os alunos, contribuindo para aumentar a qualidade de vida. O que pode colaborar para, caso tenham contato com algum vírus, tenham menores chances de desenvolver sintomas graves que necessitam de internação, o que ajuda a desafogar o sistema de saúde. 

Além disso, a suspensão dos exercícios físicos regulares e orientados agravam a saúde de pessoas com doenças crônicas, que estão inclusas dentro do grupo de risco. Tal deterioramento pode causar a incidência de casos graves e, por consequência, o aumento da taxa de ocupação de leitos. A Liga também conta com um grupo de estudos voltado para pesquisas sobre doenças específicas, incluindo a Covid-19. “O objetivo da Liga, a longo prazo, é continuar desenvolvendo estudos científicos e fortalecer cada vez mais as demandas do setor”, afirma Tatiana Abusos, representante da Liga e professora de Ed. Física. 

Municípios da região já reconhecem atividade como essencial

Cidades como Curitiba, Maringá, União da Vitória e Imbituva aprovaram recentemente projetos de lei que reconhecem a prática de atividades e exercícios físicos como essenciais durante a pandemia. As iniciativas permitem a prática de atividades físicas em academias e espaços públicos desde que sigam as orientações das autoridades sanitárias. Os proponentes dos projetos reconhecem o setor como fundamental na preservação da saúde física e mental da população desses municípios.

Informações e imagens: Divulgação/Assessorias

Digiqole ad

Notícias Relacionadas