25 de setembro de 2021

(42) 99838-3791

Últimas notícias

Profissionais de Ed. Física buscam reconhecimento da atividade como essencial

 Profissionais de Ed. Física buscam reconhecimento da atividade como essencial

Exercício físico regular ajuda na prevenção de doenças e colabora com o desafogamento do sistema de saúde durante a pandemia do Covid-19

Das assessorias

Profissionais de Educação Física de Ponta Grossa formam Liga Desportiva em busca de representatividade para reivindicar direitos do setor. O primeiro objetivo da Liga é pleitear a aprovação do Projeto de Lei Municipal nº 022/2021, que reconhece a prática de atividades e exercícios físicos como essenciais para a população em momentos de crise, como a pandemia. O Projeto prevê a liberação de atividades em espaços públicos e em estabelecimentos prestadores de serviços destinados a essa finalidade, respeitando as normas de segurança dos órgãos de saúde. O abaixo-assinado promovido pela Liga dos Profissionais de Ed. Física para aprovação da Lei já conta com mais de 3.1 mil assinaturas de apoiadores. 

O setor é reconhecido como segmento da área da saúde pela Constituição Federal, no entanto, é o único não reconhecido como essencial durante a pandemia em Ponta Grossa. “Nós atuamos na área da saúde preventiva, colaborando não só na prevenção e tratamento de doenças crônicas, como também colaboramos para que os acometidos pela Covid-19 não venham a ter sintomas graves da doença”, explica Vitor Hugo Borin Oliveira, representante da Liga e professor de Ed. Física. 

A primeira reunião da Liga foi realizada online no dia 23/03/2021. O grupo, que está em fase de formalização, já conta com a participação de mais de 50 profissionais da cidade.

Atividade age na prevenção e recuperação de doenças

Assim como a fisioterapia – setor reconhecido como essencial pelo Governo do Paraná em janeiro de 2021 pela atuação na linha de frente no enfrentamento ao coronavírus – a atividade física promove a prevenção, tratamento e recuperação de doenças. Além dos resultados físicos, os profissionais da Liga também apontam os benefícios psicológicos da atividade. “Manter nosso setor parado significa deixar de prestar um serviço que promove a saúde, o que a médio prazo pode gerar o desenvolvimento de doenças crônicas em uma grande parcela da população que então vai precisar do sistema de saúde, aumentando a demanda dos hospitais que já estão saturados devido ao coronavírus”, aponta Eduardo Felipe Franco, representante da Liga e professor de Ed. Física. 

O grupo se baseia em estudos científicos da área que demonstram como o exercício físico estimula o sistema imunológico, evitando o agravamento de diversas doenças, incluindo a Covid-19. O objetivo dos profissionais é manter um trabalho contínuo com os alunos, contribuindo para aumentar a qualidade de vida. O que pode colaborar para, caso tenham contato com algum vírus, tenham menores chances de desenvolver sintomas graves que necessitam de internação, o que ajuda a desafogar o sistema de saúde. 

Além disso, a suspensão dos exercícios físicos regulares e orientados agravam a saúde de pessoas com doenças crônicas, que estão inclusas dentro do grupo de risco. Tal deterioramento pode causar a incidência de casos graves e, por consequência, o aumento da taxa de ocupação de leitos. A Liga também conta com um grupo de estudos voltado para pesquisas sobre doenças específicas, incluindo a Covid-19. “O objetivo da Liga, a longo prazo, é continuar desenvolvendo estudos científicos e fortalecer cada vez mais as demandas do setor”, afirma Tatiana Abusos, representante da Liga e professora de Ed. Física. 

Municípios da região já reconhecem atividade como essencial

Cidades como Curitiba, Maringá, União da Vitória e Imbituva aprovaram recentemente projetos de lei que reconhecem a prática de atividades e exercícios físicos como essenciais durante a pandemia. As iniciativas permitem a prática de atividades físicas em academias e espaços públicos desde que sigam as orientações das autoridades sanitárias. Os proponentes dos projetos reconhecem o setor como fundamental na preservação da saúde física e mental da população desses municípios.

Informações e imagens: Divulgação/Assessorias

Digiqole ad

Notícias Relacionadas