24 de setembro de 2021

(42) 99838-3791

Últimas notícias

Presidente da AMTT, vereadores e empresários são presos em operação do Gaeco

 Presidente da AMTT, vereadores e empresários são presos em operação do Gaeco

Operação Saturno realizou buscas em gabinetes da Prefeitura Municipal de Ponta Grossa, na Câmara Municipal, na Autarquia Municipal de Trânsito, na sede de três empresas e em 16 residências

Com assessorias

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público do Paraná cumpriu na manhã desta terça-feira, 15 de dezembro, cinco mandados de prisão preventiva, dois mandados de prisão temporária e 22 mandados de busca e apreensão no âmbito da Operação Saturno, que investiga possíveis crimes de corrupção ativa e passiva, fraude a licitação e tráfico de influência supostamente praticados por empresários, servidores públicos e vereadores de Ponta Grossa, nos Campos Gerais.

Investigações conduzidas pelo Núcleo de Ponta Grossa do Gaeco identificaram possíveis ilegalidades na contratação de empresa pela Autarquia Municipal de Trânsito e Transportes do Município (AMTT) para a implantação e operação do Estar Digital (estacionamento rotativo) e para a compra de softwares pela Companhia de Habitação de Ponta Grossa (Prolar), entre os anos de 2016 e 2020. Também é objeto de apuração a possível prática de manipulação e corrupção de vereadores na Comissão Parlamentar de Inquérito instalada na Câmara Municipal para apurar os processos licitatórios que resultaram nas contratações.

A prisão temporária, por cinco dias, foi decretada contra o presidente da Autarquia Municipal de Trânsito de Ponta Grossa, Roberto Pelissari e contra o vereador Ricardo Zampieri (Republicanos), que atuava como presidente da CPI. Os alvos das prisões preventivas foram os empresários, Antonio Carlos Domingues de Sá e Alberto Abujamra Neto, sócios da Cidatec, além de João Carlos Barbiero e Celso Ricardo Madrid Finck, ligados ao grupo. O vereador Walter José de Souza, o Valtão (PRTB), relator da Comissão Parlamentar de Inquérito instalada na Câmara sobre o assunto, também foi preso preventivamente.

Os mandados de busca e apreensão foram cumpridos na Prefeitura Municipal de Ponta Grossa (gabinete do secretário-geral de Administração), na Câmara Municipal (gabinete de cinco vereadores que integram a CPI), na Autarquia Municipal de Trânsito, na sede de três empresas e em 16 residências (de empresários e servidores públicos). Dos 22 mandados, 18 são cumpridos em Ponta Grossa e quatro em Curitiba. Todos foram expedidos pelo Juízo da 1ª Vara Criminal de Ponta Grossa.

Nesta tarde, a Prefeitura de Ponta Grossa emitiu nota oficial sobre a operação do GAECO em Ponta Grossa. Confira na íntegra:

A Prefeitura Municipal de Ponta Grossa informa que apoia a ação legítima de investigação do GAECO e forneceu toda a documentação solicitada até o momento.
A Prefeitura informa ainda que já havia entregue toda documentação solicitada referente ao processo licitatório do Estar Digital ao Ministério Público, no qual já foi arquivado, ao Tribunal de Contas do Estado do Paraná e à CPI da Câmara de Vereadores de Ponta Grossa.
No momento, a Prefeitura aguarda andamento da operação, ficando à disposição para esclarecimentos.

Informações e imagens: Divulgação/MPPR

Digiqole ad

Notícias Relacionadas