Paraná terá “toque de recolher” a partir desta quarta-feira

 Paraná terá “toque de recolher” a partir desta quarta-feira

Medida foi determinada pelo Governo do Estado, em decreto oficial publicado na terça-feira (1), devido à alta no número de casos de Covid-19

Por Cícero Goytacaz

Na noite desta quarta-feira (02), entra em vigor a limitação de horário para circulação de pessoas, o chamado “toque de recolher”. A medida foi estabelecida pelo decreto 6.284/2020, assinado pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior, para conter a disseminação do novo Coronavírus no Paraná. A iniciativa irá vigorar entre 23h e 5h, com fiscalização em todo o estado.

Segundo o decreto, a expansão de leitos de UTI exclusivos para Covid-19 encontra-se em seu último estágio, havendo falta de recursos humanos, insumos e equipamentos no cenário atual. De acordo com Beto Preto, Secretário de Estado da Saúde, houve um aumento de 23,9% na média móvel de casos e de 6,2% no número de mortes, nos últimos 14 dias, no Paraná.

O “toque de recolher” visa evitar aglomerações em parques, bares, festas, casas noturnas e estabelecimentos do gênero, com validade em todo o Paraná. A iniciativa deve permanecer nos próximos 15 dias, podendo ou não ter esse prazo prorrogado. Os dados de monitoramento da Covid-19 no Paraná mostram um total 282.645 casos e 6.160 mortes pelo novo coronavírus, desde o início da pandemia.

No momento, existem 1.083 pacientes internados com diagnóstico confirmado da doença. Destes, 790 ocupam leitos SUS, sendo 442 em UTIs e 348 em clínicos/enfermaria, além de 293 da rede particular, em 81 UTIs e 212 clínicos/enfermaria. Há também outros 1.536 pacientes internados, que aguardam resultados de exames.

A taxa de ocupação dos leitos de UTI adulto no Estado está em 84% e de enfermaria em 68%. A macrorregião Leste, que abriga a capital, região metropolitana e Litoral, atravessa a situação mais delicada com relação a vagas em hospitais, com 91% de ocupação em UTI e 67% em enfermaria.

Informações: Agência de Notícias do Paraná. Imagem: Divulgação/AEN.

Digiqole ad

Notícias Relacionadas