Números, problemas e soluções para o mundo: a matemática faz parte, sim, do cotidiano

 Números, problemas e soluções para o mundo: a matemática faz parte, sim, do cotidiano

Das assessorias

A satisfação de encontrar a solução correta de um exercício ou de entender cada passo da demonstração de um teorema, após horas e horas tentando compreendê-lo: essa é a motivação do matemático Daniel José Schulmeister, graduado pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), no curso de Bacharelado em Matemática Aplicada. Ele garante que matemática não é “coisa de gente maluca”, mas, como em qualquer outra área de formação, é destinada a pessoas que se esforçam, se interessam e têm paixão pelo conhecimento. Na UEPG, estão abertas as inscrições para o Vestibular de Primavera e interessados podem optar por dois cursos nessa área: Licenciatura em Matemática e Bacharelado em Matemática Aplicada.

A professora Scheila Biel, coordenadora do curso de Licenciatura em Matemática, reforça que não é necessário ter “perfil de intelectual” para cursar Matemática. “Ao contrário do que sempre nos é dito, que para fazer matemática tem que ser ‘crânio’, tem que ter um dom, saibam que estudos da Neurociência comprovam que não existem “pessoas de humanas” e “pessoas de exatas”, o que existe é uma mentalidade de crescimento e qualquer pessoa pode aprender matemática em altos níveis”.

Daniel já gostava de matemática desde criança, participou da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP) e de um projeto de Iniciação Científica Jr. (PIC-Jr.) destinado aos alunos que tiveram bons desempenhos na olimpíada. “Nesse projeto conheci muitos adolescentes que, assim como eu, gostavam de matemática e recebemos uma formação mais aprofundada sobre alguns tópicos matemáticos”, lembra. “O contato com esses jovens e com os professores do PIC me ajudou a decidir por cursar Matemática Aplicada no ensino superior, uma vez que vislumbrei a possibilidade de estudar o que gosto e futuramente fazer dessa minha profissão”.

O professor José Tadeu Teles Lunardi, coordenador do curso de Bacharelado em Matemática Aplicada, conta que o estudante que gosta de matemática muitas vezes não sabe que existe um curso que forma matemáticos profissionais. “Muitas vezes o estudante talentoso em matemática usa esse talento apenas como uma vantagem para ser aprovado em vestibulares de cursos com alta concorrência. Outras vezes, o interesse pela matemática o leva a buscar carreiras mais tradicionais que têm a matemática na formação inicial, como as engenharias”, relata. “Todas essas carreiras têm seus méritos e certamente se beneficiam muito do talento em matemática desses estudantes, mas não são as escolhas mais adequadas para aqueles cuja paixão pela matemática e pelos seus desafios os motiva a aprofundarem-se cada vez mais na matemática e em suas relações com outros ramos da ciência ou da tecnologia”.

Egresso do curso, Daniel reforça que não é à toa que a profissão de matemático aplicado está entre as dez mais promissoras do mundo. “A matemática está presente em (quase) tudo, então quem melhor do que um profissional graduado na área para desenvolver, modelar e resolver as mais variadas situações-problemas que podem ocorrer nos diversos ambientes de trabalho? A formação que obtive e o desenvolvimento do raciocínio que nosso curso nos proporcionou me faz acreditar nisso”, enaltece.

“Além da atuação em fábricas, indústrias e bancos, há também a carreira acadêmica, que foi a que escolhi, após concluir o ensino superior”, conta o egresso. Ele foi um dos selecionados para o mestrado na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), uma das melhores universidades da América Latina, e se dedica aos estudos na área de Pesquisa Operacional, que envolve a modelagem e resolução de problemas que ocorrem em ambientes industriais, por exemplo.

Douglas Alves Gonzaga, formando no curso de bacharelado, também trouxe o gosto pela matemática da infância. “Fui premiado na OBMEP e vinha para a UEPG em alguns finais de semana para aprender matemática, junto com outras crianças e com professores escolhidos para nos ajudar e nos introduzir nesse mundo da matemática. Ali, eu me encontrei.  Era o que eu queria fazer e gostava, realmente, daquilo”, relembra. Portanto, a escolha no vestibular foi simples: bacharelado em Matemática Aplicada.

“De fato, não é um curso fácil. Exige muita dedicação e tempo”, aponta Douglas. “Mas ele nos dá uma base enorme, tanto para aqueles que querem trabalhar em empresas e indústrias com matemática, como para aqueles que querem entrar na área acadêmica, trabalhando como pesquisadores e docentes”.

Bacharelado

Ofertado na UEPG desde 2017, o curso de Bacharelado em Matemática Aplicada formou sua primeira turma em 2021. Daniel fez parte dessa primeira turma e destaca o carinho com que vai recordar destes anos de estudo. “Sempre notei o cuidado que os responsáveis tiveram em organizar a grade curricular do curso, a fim de que nós, graduandos, tivéssemos a melhor formação possível”, aponta. “Além disso, gostaria de destacar a qualidade do corpo docente do departamento, com professores sempre dispostos a nos ajudar em meio às dúvidas, e o nível das disciplinas ofertadas no decorrer dos anos, visando o desenvolvimento das nossas capacidades lógicas, associativas e cognitivas”.

“O curso de Bacharelado em Matemática Aplicada busca atrair aqueles estudantes que se veem como cientistas da matemática, aplicada ou pura, e também aqueles que se veem como profissionais de mercado que usam conhecimentos avançados da matemática, da estatística e da computação para resolver problemas práticos”, define o professor Tadeu, coordenador do curso. O currículo é voltado à atuação no mercado após a formação e habilita os graduados para a construção de modelos matemáticos, estatísticos e computacionais aplicados em diversas áreas de interesse da indústria, do comércio, dos mercados financeiros, dos governos, e das mais variadas áreas da ciência e da tecnologia.

Como o mercado de trabalho para o profissional de matemática aplicada é um dos que mais tem crescido nos últimos anos, a área tem grande espaço para atuação profissional, destaca Lunardi. “Com essa formação, o Bacharel em Matemática Aplicada da UEPG estaria apto a atuar, no Brasil ou no exterior, como um profissional em empresas, públicas ou privadas, ou a atuar como consultor, resolvendo problemas que possam ser formulados em linguagem matemática, estatística ou computacional. Por exemplo, um importante campo de especialização para o bacharel em Matemática Aplicada é a emergente área de ciência de dados”.

Licenciatura

A história de vida de Elen da Rosa Silva, egressa do curso de Licenciatura em Matemática da UEPG, é entremeada pela Educação – não havia como ficar longe das salas de aula. “Imersa em uma família com muitos professores, sempre ouvia falar sobre Educação e Ensino nas rodas de conversa nas reuniões familiares”, lembra. A partir da afinidade com a Matemática durante o Ensino Médio, fez a escolha por unir esses dois mundos na formação profissional. “Fui aprovada no vestibular de inverno de 2015, então em 2016 me mudei de Imbaú, cidade em que moro atualmente, para Ponta Grossa para estudar e gostei muito do curso, que conta com professores excepcionais e muito capacitados para as disciplinas lecionadas no decorrer do curso”, conta.

Durante a graduação, participou de projetos de extensão, iniciação à docência e iniciação científica. “Com isso, comecei a cultivar um amor pelo ensinar e preocupação com o aprender, mas senti que precisava de mais, estudar mais, pesquisar sobre aspectos que poderiam ser manifestados nessa profissão que estou em constante aprendizado”. Hoje, Elen cursa o Mestrado em Ensino de Ciências e Educação Matemática na UEPG.

“O curso de Licenciatura em Matemática da UEPG tem como objetivo principal a formação de professores de Matemática para a Educação Básica, capazes de enfrentar os desafios e as mudanças no âmbito educacional”, aponta a professora Scheila, coordenadora do curso. “Espera-se que o egresso estabeleça relações entre a Matemática e outras ciências, faça uso das tecnologias educacionais, bem como seja crítico e consciente da sua realidade e apto a atuar de forma responsável considerando a relevância de seu trabalho para a sociedade”.

Elen é professora de Matemática para os oitavos anos do Colégio Estadual Presidente Tancredo Neves, em Imbaú – PR. “Estou colocando em prática o que tive o privilégio de aprender no curso. Sou grata a tudo que aprendi e às pessoas maravilhosas que me oportunizou conhecer, além de amizades que levarei para toda vida”, comemora. “Amo ensinar matemática!”

Vestibular

As inscrições para o Vestibular de Primavera da UEPG estão abertas até 29 de julho, pelo site da CPS.

Foto: Arquivo Pessoal
Digiqole ad

Notícias Relacionadas