Terça, 18 de Janeiro de 2022
25°

Pancada de chuva

Ponta Grossa - PR

Ponta Grossa Denúncia

Morador da Colônia Dona Luiza denúncia situação precária de rua após obras de construtora

Em dias de chuva, o desnível da rua causa até alagamento nas casas dos vizinhos na rua Dr. Caminhoá

14/01/2022 às 14h40 Atualizada em 14/01/2022 às 15h41
Por: Gabriel Ribeiro
Compartilhe:
Reprodução/Arquivo pessoal
Reprodução/Arquivo pessoal

Nesta semana, o comVc portal recebeu uma denúncia de um morador do bairro Colônia Dona Luiza. O pintor Luis Francisco Mendes, 40, relatou à redação que a rua Dr. Caminhoá, onde fica sua casa, encontra-se em uma situação precária, causando até alagamento nas casas dos vizinhos após obras de uma construtora. Confira mais detalhes no vídeo ao final da matéria.

 

Entenda o caso 

Luis nasceu e cresceu no mesmo bairro. Após completar uma certa idade, começou a se preocupar com a situação da sua rua e começou a cobrar melhorias dos órgãos responsáveis. As tentativas, entretanto, não obtiveram sucesso.

 

As coisas pioraram há quatro anos quando a Prestes Construtora iniciou as obras de dois novos empreendimentos. Durante a construção de ambos, a rua Dr. Caminhoá foi usada para a instalação da rede de esgoto e como passagem das máquinas. “A rua virou um caos”, lembra Luis.

 

Para reverter a situação e consertar os estragos gerados pelas obras, a construtora fez um novo asfalto. Segundo Luis, a pavimentação da Prestes foi feita sem muita estrutura, o que causou o ‘achatamento’ do mesmo. “A construtora fez um asfalto e até mexeu em outra rua, que tinha uma pavimentação muito boa. Quando eles mexeram, o asfalto não ficou com a qualidade necessária”, relata.

 

Com a rua desnivelada, em dias de forte chuva a água não consegue ir até as bocas de lobo, o que gera alagamentos nas casas próximas.

 

Outro problema 

 

Diante da situação, Luis procurou a secretaria de obras de Ponta Grossa para, mais uma vez, tentar solucionar o problema. Ele tentou se informar sobre o estudo Prévio de Impacto de Vizinhança – EIV. Que tem como um dos focos o bem-estar da população. Quando chegou no local, descobriu que a Rua Dr. Caminhoá foi dividida em duas partes.

 

Enquanto o trecho asfaltado segue com o mesmo nome, Rua Dr. Caminhoá, o trecho sem pavimentação mudou para Rua Henrique Romanowski Grissai. “Eu recebi, de forma extraoficial, que esse procedimento de mudar o nome da rua é feito para que a mesma possa receber o asfalto, já que no sistema consta que a Dr. Caminhoá está 100% pavimentada”, relata Luis.

 

Ele conta ainda que foram abertos vários protocolos através do sistema 156, como recomendado. Dois deles, enviados ao comVc, constam como recebidos e visualizados pelos responsáveis. 

 

O que dizem os envolvidos

 

Em nota, enviada ao comVc portal, a Prestes Construtora afirmou que todas as suas obras seguem os padrões e critérios exigidos para que não ocorra nenhum desconforto aos moradores próximos aos seus empreendimentos. A construtora acrescenta ainda estranhar a denúncia de que as máquinas usadas nas obras danificaram a rua Dr. Caminhoá.

 

“Cabe destacar também que a referida rua se encontra sem pavimento, da mesma forma que estava antes das obras nos empreendimentos da Prestes. A ausência de asfalto e a falta de manutenção tendem a agravar a situação.  Entretanto, não se trata de uma responsabilidade da construtora e a referida rua não fez e não faz parte das ações mitigadoras de responsabilidade da Prestes”, escreveu.

 

Leia na íntegra 

            

“Diante da denúncia encaminhada pela reportagem à Prestes Construtora, a empresa destaca que todas as obras realizadas na rua general Barbedo cumprem com critérios técnicos, com a utilização de materiais adequados, de qualidade e seguindo as normas de regulamentação. Essas obras contemplaram não apenas a pavimentação asfáltica, mas também o meio fio e a canalização de um córrego que passa pela mesma. 

 

A obra foi uma medida compensatória feita pela construtora, conforme determinação do município com projeto aprovado pelo mesmo. 

 

Causa estranheza o fato de o seguidor dizer que as máquinas usadas nas obras danificaram a rua Dr. Caminhoá. Isto porque já faz mais de dois anos que não existe tráfego pesado ali, relacionado às obras, considerando que o Vittace Oficinas já foi entregue a um ano e quatro meses e o Vista Oficinas há mais de dois anos.

 

Cabe destacar também que a referida rua se encontra sem pavimento, da mesma forma que estava antes das obras nos empreendimentos da Prestes. A ausência de asfalto e a falta de manutenção tendem a agravar a situação.  Entretanto, não se trata de uma responsabilidade da construtora e a referida rua não fez e não faz parte das ações mitigadoras de responsabilidade da Prestes.

 

A Prestes reitera seu compromisso com as exigências estabelecidas à cada nova obra, a seriedade com a qual executa o seu trabalho, cumprindo com a legislação e respeitando o poder público e a comunidade”.

 

A redação do comVc portal entrou em contato com a Prefeitura da cidade que informou que irá enviar técnicos ao local para verificar a situação atual e quais as medidas cabíveis.

 

Faça você também sua denúncia clicando aqui.

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.