Irmãos Beraldo: “Resultado de união e companheirismo na família”

 Irmãos Beraldo: “Resultado de união e companheirismo na família”

Conheça a história da Irmãos Beraldo, empresa familiar que fez história no comércio de Ponta Grossa

Por Cícero Goytacaz

A história dos irmãos Beraldo começa no final dos anos 1930, com Wilson, Acir e Antonio Amilton Beraldo, três irmãos que nasceram na Colônia Bela Vista, em Imbituva, e desde a infância conviveram, aprenderam e começaram a trabalhar juntos. Quem conta mais sobre a história dos três irmãos é Acir Geraldo Beraldo, filho de Acir Beraldo.

“Eles se criaram juntos, desde cedo trabalhando na vida. Minha avó, a dona Irene, era ‘a general’, a linha dura da casa, então criou eles sempre seguindo os preceitos de honestidade e de trabalho, que fizeram eles sempre seguirem juntos”, detalha Acir. No início, Wilson e Acir comandavam uma oficina mecânica na cidade de Prudentópolis, antes de se mudarem com suas famílias para Ponta Grossa, onde moravam Amilton e sua mãe, onde a história da Irmãos Beraldo se consolidaria.

“Na época, trabalhar em mecânica era diferente. Hoje em dia, lógico, o profissional precisa ter conhecimento do assunto, mas agora tem mais trocas de peças, antes tinha que fazer as peças voltarem a funcionar, então era mais difícil antigamente”, destaca. “O tio Amilton veio morar em Ponta Grossa com minha vó, e meu pai com o tio Wilson ficaram em Prudentópolis. Eles já estavam casados com suas esposas, tinham seus filhos. Em 1966, num momento importante, de dificuldade da vida deles lá, eles trocaram essa oficina por um caminhão e, com esse caminhão, eles vieram para Ponta Grossa. Aí que começa os Irmãos Beraldo”, complementa.

Os irmãos Beraldo começaram seus negócios com o comércio de veículos. Wilson e Acir adquiriram essa experiência com a mecânica em Prudentópolis. Em Ponta Grossa, Amilton era comerciante e trabalhava na antiga Hermes Macedo. “Com o dinheiro que o tio Amilton ganhava na Hermes, ele investiu em estudos e cursos para pilotar avião”, conta Acir.

A primeira sede da Irmãos Beraldo foi em um terreno na Avenida Dom Pedro II, na Nova Rússia, onde os irmãos começaram o comércio de veículos. Hoje em dia, o local ainda pertence à família Beraldo e está situado onde hoje funciona a loja de tintas Darka. A sede da Irmãos Beraldo foi construída no início da década de 1970 e efetivada por volta de 1973.

“O meu pai era do comercial, o tio Wilson ficava na operação, em termos de manutenção dos veículos e de recursos humanos da época, e o tio Amilton tratava do financeiro e organizava o negócio”, detalha Acir. Segundo ele, a partir de então, a empresa se consolidou graças ao seu network, ou seja, à sua rede de parceiros comerciais. “O comércio de veículos se tornou muito forte, porque a rede de contatos era muito grande e existiam poucas lojas que vendiam carros usados. Então aqui na região, cidades como Imbituva, Prudentópolis, Irati, Guarapuava, entre outras, muitos vinham comprar carros aqui”, acrescenta.

Com o sucesso do negócio de veículos, o lucro dos irmãos foi além do planejado, o que permitiu aos irmãos Beraldo expandirem suas áreas, iniciando negócios no ramo da agropecuária e também no ramo da aviação, onde deixaram um legado marcante. “A parte de aviação foi coordenada pelo tio Amilton, chegamos a ter três aviões, o grande negócio nessa área era o taxi aéreo, além de viagens para fazer negócios”, explica Acir.

Antônio Amilton Beraldo se tornou referência nacional na aviação. Inclusive, como conta Acir, seu tio construiu uma grande amizade com Rolim Amaro (1942-2001), dono da companhia aérea TAM. O aeroporto de Ponta Grossa, conhecido pelo nome Aeroporto Sant’Ana, é chamado oficialmente de Aeroporto Comandante Antonio Amilton Beraldo. Amilton faleceu em 2004. Seu funeral foi marcante e mobilizou toda a cidade de Ponta Grossa.

“Depois da morte do tio Amilton, ficou sem sentido continuar o negócio sem ele. As propriedades continuam sendo da família, mas cada um seguiu seu caminho, meu pai cuidou de seus negócios na agropecuária, o tio Wilson também se dedicou às fazendas, deram continuidade nas propriedades que ficaram para eles e acharam por bem, encerrar a Irmãos Beraldo, pois era o fim de um ciclo”, conta Acir. Hoje, Wilson e Acir Beraldo estão com respectivamente 84 e 82 anos e vivem com suas famílias. “Eles conversam quase que diariamente, vivem bem, claro que com suas limitações por serem senhores de idade, mas a união permanece a mesma”, conclui.

Imagens: Acervo/Família Beraldo.

Digiqole ad

Notícias Relacionadas