Indústria 4.0 ainda depende de sensibilização da alta direção das empresas, aponta CNI

 Indústria 4.0 ainda depende de sensibilização da alta direção das empresas, aponta CNI

Estudo disponibilizado pelo Senai no Paraná para download aponta caminhos para modernização do setor industrial 

Das assessorias

Em busca de maior produtividade no chão de fábrica, cada vez mais as indústrias estão apostando em tecnologia para digitalizar seus processos e otimizar seus recursos, além contribuir para uma significativa redução de custos. No entanto, muitas delas ainda têm dificuldades em identificar quais processos podem ser modernizados para alcançar o patamar de indústria 4.0, principalmente devido à falta de informações sobre as tecnologias disponíveis. Pensando nisso, a Confederação Nacional da Indústria (CNI) elaborou um estudo com empresas de diversos portes, nacionais e internacionais, que traz análises sobre o panorama atual das indústrias brasileiras em relação à tecnologia e propõe soluções para que elas consigam reverter esse quadro, incorporando  novas práticas à sua rotina. 

O estudo deu origem ao ebook “A difusão das tecnologias da indústria 4.0 em empresas brasileiras”, disponibilizado pelo Senai no Paraná para download gratuito. “Ao trazer um panorama como o desenvolvimento da indústria 4.0 no país, esse estudo da CNI se torna um documento muito valioso, para que as indústrias paranaenses possam consultar e observar quais caminhos podem seguir para incorporar novas tecnologias a seus processos e, assim, obter mais eficiência em sua cadeia de produção”, analisa Fabrício Lopes, gerente executivo de Tecnologia e Inovação do Sistema Fiep.

Algumas das tecnologias relacionadas no ebook como possibilidades para adoção pelas indústrias são big data, robótica avançada, computação em nuvem, impressão 3D, inteligência artificial, sistemas de conexão máquina-máquina, sensores, atuadores e softwares de gestão avançada da produção, podendo ser combinadas entre si para obtenção de melhores resultados. 

O documento também mostra os principais fatores que impedem que as empresas adotem essas tecnologias – concorrência com outros projetos de investimento em um cenário de baixa taxa de investimento e de restrições financeiras; o atraso tecnológico de algumas empresas, que culmina na necessidade de maior investimento para compensar o atraso existente; falta de informação sobre as tecnologias e seus impactos, tanto para o nível executivo e gerencial quanto operacional; falta de integração funcional na empresa e problemas de gestão corporativa com grande departamentalização de funções.

Por fim, ainda apresenta algumas propostas para auxiliar as empresas a percorrer o caminho da indústria 4.0: informação e sensibilização para a alta direção das empresas; estímulos à elaboração de planos empresariais estratégicos de digitalização; e concessão de financiamento de baixo custo para a demanda de soluções tecnológicas no padrão da indústria 4.0.  

Tanto o estudo completo realizado pela CNI, quanto o ebook do Senai no Paraná estão disponíveis aqui

SOBRE O SISTEMA FIEP

O Sistema Fiep é composto pela Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep), Serviço Social da Indústria (Sesi), Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) e Instituto Euvaldo Lodi (IEL). As instituições trabalham integradas em prol do desenvolvimento industrial. Com linhas de atuação complementares, realizam a interlocução com instâncias do poder público, estimulam o fomento de negócios nacionais e internacionais, a competitividade, a inovação, a tecnologia e a adoção de práticas sustentáveis, e oferecem serviços voltados à segurança e saúde dos trabalhadores, à educação básica de crianças, jovens e adultos, à formação e aperfeiçoamento profissional, à formação de nível superior, além de capacitação executiva. 

Informações: Divulgação/Sistema FIEP

Imagens: Reprodução/Freepik

Digiqole ad

Notícias Relacionadas