Imagens: Paróquia Santa Teresinha festeja 65 anos

 Imagens: Paróquia Santa Teresinha festeja 65 anos

Bispo fez dedicação da Santa Teresinha; na celebração foi ungido e incensado o altar; o ambão, as paredes, as cruzes e o sacrário

Das assessorias

A Paróquia Santa Teresinha, em Ponta Grossa, está comemorando 65 anos de fundação. Na noite desta quarta-feira (28), foi celebrada solenemente na Liturgia a festa da dedicação da igreja, com a participação de Dom Sergio Arthur Braschi. O bispo fez a dedicação, consagrando o altar e a igreja. A paróquia existe de 1937 como capela. Depois, da construção da igreja e da organização da comunidade, em abril de1956 foi elevada como paróquia pelo bispo Dom Antônio Mazzarotto.. “É um momento de agradecer a toda essa história”, destacava o pároco, padre Joel Nalepa.

A Paróquia Santa Teresinha, localizada na Vila Estrela e formada pela matriz e pela Comunidade Nossa Senhora do Rocio, na Vila Guaíra, teve como primeiro pároco o padre Francisco Salache (1956). Logo em seguida, foi administrada pelo padre. Fridolino Beuren, considerado um dos mais importantes e influentes da história da comunidade. Até hoje, foram 13 párocos, dez vigários paroquiais além de outros colaboradores. Passaram pela paróquia os padres Pedro Guerra, Francisco Salache, Francisco Soczek, Carlos Zelesny, Isaías Becher, Abrão Becher, Sergio Tychanowicz, Claudemir Nascimento Leal e Evaldo Fidelix. Atualmente, padre Joel tem como vigário padre Mário Dwulatka.

Foi uma noite de homenagens e marcada pela dedicação da igreja. “Padre Fridolino, o segundo pároco, foi muito presente, foi quem construiu a igreja e é muito lembrado, mas também é preciso lembrar de outros, como o padre Isaías, padre Abrão, padre Evaldo, que passaram por aqui e deram a sua contribuição e outros vigários paroquiais que ajudaram para fortalecer a comunidade. É dia para agradecer a dedicação, a doação dos padres e religiosos, leigos e famílias. Hoje, nós estamos aqui com a responsabilidade de olharmos para a frente, com o olhar de esperança”, afirmava padre Joel, lembrando que, na igreja, estão os túmulos de dois padres, falecidos em 1980: padre Fridolino e José Krainski, da Congregação do Verbo Divino. Os dois faleceram no mesmo dia, coincidentemente. 

História

Desde 1937, a comunidade se organiza e cresce, sendo que a construção da atual igreja Matriz deu-se em 1948, com o lançamento da pedra fundamental e em 1954 deu-se a inauguração da cripta, que hoje é o salão paroquial, com adaptações para o acesso e conforto da comunidade. A 15 de outubro de 1961 aconteceu a inauguração da primeira parte da Igreja e, na década de 1970, a igreja estava completamente construída e inaugurada como uma das mais belas da cidade. 

A partir de 2001, foi construída a casa paroquial para a residência dos sacerdotes e atendimento na secretaria. Em 2013, começaram as reformas no salão paroquial, substituição do telhado da igreja e reforma em toda a cobertura, no sistema de iluminação, com projeto elétrico, e adaptações de acessibilidade com projeto de segurança. Desde 2019, com projeto arquitetônico e, de acordo com normas litúrgicas foi feita a reforma interna como pintura e adaptação do presbitério. (altar, sede, ambão), capela do Santíssimo e pia batismal. 

Em novembro de 1998, a paróquia recebeu a visita das relíquias de Santa Teresinha, trazidas de Lisieux, na França, onde a Santa viveu. Esse foi um dos momentos marcantes de sua história. Desde março de 2020, com a pandemia do novo Coronavírus, a paróquia, como toda a sociedade, enfrenta os desafios desse tempo: restrições na capacidade de participação e até períodos de fechamento da igreja para a presença de fiéis. “Isso tem sido um desafio, e ao mesmo tempo, uma nova oportunidade de ser Igreja, através das celebrações pelo Facebook, reuniões de forma remota e outras iniciativas que estão sendo um sinal de conexão e comunhão com a comunidade que tem sido generosa e verdadeiramente ‘Igreja viva’”, enfatiza o pároco. 

Informações e imagens: Divulgação/Diocese de PG

Digiqole ad

Notícias Relacionadas