Fila de espera por atendimento de especialidades médicas aumenta na pandemia

 Fila de espera por atendimento de especialidades médicas aumenta na pandemia

apesar de alguns serviços terem sido retomados, ainda não estão com capacidade de oferta de 100%

Das assessorias

Enquanto profissionais da saúde se desdobram para atender casos de Covid-19 e suas sequelas, a população que necessita de especialidades pena pela falta de atendimento. “Neste momento em específico, todas as nossas demandas de especialidades estão reprimidas, pois com a pandemia, muitos serviços eletivos ficaram paralisados”, explica a secretária de saúde de Carambeí, Juliane Dorosxi.

Conforme a secretária, apesar de alguns serviços terem sido retomados, ainda não estão com capacidade de oferta de 100%. “Até mesmo em virtude de médicos especialistas estarem afastados por serem integrantes do grupo de risco”, relata. Devido a situação, a demanda reprimida de serviços eletivos, consultas ou exames especializados e procedimentos cirúrgicos, acabaram por ficar sem serviços de referência para sua execução. 

Com o intuito de analisar a demanda reprimida de seu município, a secretária de saúde de Carambeí esteve reunida com a diretoria do Consórcio intermunicipal de Saúde dos Campos Gerais (CimSaúde) na terça-feira. “A pandemia fez com que os profissionais da saúde pública ficassem focados no atendimento da covid-19, e alguns serviços, como do Consórcio, foram suprimidos devido aos riscos, principalmente, do transporte sanitário”, esclarece a diretora, Pâmella Costa, contando que por isso os pacientes considerados crônicos tiveram sua situação de saúde agudizada. 

No momento, a intenção dos gestores é buscar alternativas para esses atendimentos. “Sabemos da obrigatoriedade dos municípios manterem os serviços da Atenção Primária, mas é necessário a continuidade, em muitos casos, pela Atenção Secundária ou ainda Terciária. Com isso, é que tenho buscado desenvolver tratativas para solucionar os problemas de saúde do meu município, através do Consórcio de Saúde”, salienta a Secretária. “Estou em contato com os municípios para verificar suas demandas, já que uma das metas do Consórcio é aumentar o rol de especialidades”, explicou a diretora, destacando que o objetivo é o fortalecimento do CimSaúde na região.

Qualicis
Além da demanda reprimida, as gestoras de saúde debateram outros temas como a Ficha deProgramação Orçamentária (FPO) e o Qualicis, novo programa do Governo de Estado, de qualificação dos Consórcios de Saúde Pública. O Qualicis trará Linhas de Cuidados que devem ser adotadas pelos Consórcios. “Será uma nova configuração das Redes de Atenção à Saúde que atuávamos até o ano passado”, esclarece a diretora, antecipando que este deve amenizar a situação crítica das especialidades neste momento de pandemia.

Ainda não há previsão do início dos atendimentos por meio do Qualicis, já que o contrato está no departamento jurídico da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), mas os municípios aguardam o mais breve. “Carambeí com certeza vai fazer bom uso dessas linhas de saúde e com isso ganharemos muito. Poderemos contar com mais essa ferramenta para melhorar o atendimento para com a população”, avalia a gestora Juliana, que é integrante do Grupo Técnico Consultivo (GTC) do Programa junto à  3ª Regional de Saúde. 

Informações e imagens: Divulgação/CimSaúde

Digiqole ad

Notícias Relacionadas