Em PG, 70% dos alunos devem retornar às aulas presenciais

 Em PG, 70% dos alunos devem retornar às aulas presenciais

Ensino presencial começa na segunda (22) para 50% dos alunos que optaram pelo sistema híbrido, enquanto os demais acompanham as aulas remotas

Das assessorias

Depois de um 2020 de isolamento social e aulas remotas pela internet e TV Educativa, por meio do Programa Vem Aprender, os CMEIs e Escolas de Ponta Grossa estão se preparando para o retorno dos alunos às aulas presenciais. Após consulta da Secretaria Municipal de Educação às famílias, pelo menos 70% das crianças devem retornar para a sala de aula, estudando no sistema híbrido. O restante estudará somente de maneira remota.

Desta forma, com a escolha, os alunos do sistema híbrido farão 50% dos estudos na escola e 50% em casa, com atividades para serem realizadas no acompanhamento do Programa Vem Aprender. Eles irão para a escola, presencialmente, a cada duas semanas.

Para a professora Simone Pereira Neves, secretária de Educação, o número indica confiança e a vontade da população em retomar as aulas. “É um indicativo muito relevante para que nós tenhamos dimensão da importância deste trabalho que estamos realizando, com o máximo de cuidados. Por meio das equipes gestoras dos CMEIs e das Escolas, nós abrimos um grande diálogo sobre o retorno às aulas presenciais e esta foi uma resposta espontânea da comunidade”, observa a Professora Simone.

Para orientar o retorno seguro, os profissionais das unidades escolares receberam o Protocolo de Biossegurança feito pela SME e homologado pelo Comitê de Combate à COVID-19 – além de equipamentos e recursos para limpeza e proteção. O documento indica diversas ações que precisam ser tomadas para esta nova rotina nas escolas e CMEIs. O dia a dia dos alunos não será o mesmo, a começar pelo uso da máscara, que terá que ser permanente. Na entrada e ao longo do dia, haverá medição de temperatura e uso constante de álcool em gel, água e sabão. Os alunos precisam manter distanciamento dos colegas e o cumprimento deve evitar o contato físico.

Mesmo com tantos cuidados, os professores deixam claro que a escola continuará sendo o espaço acolhedor que sempre foi para as crianças. “É claro que o carinho não fica de lado, porque a escola precisa continuar sendo aquele lugar gostoso. Nós estamos aqui para acolher e ensinar. A única diferença é que agora, não podemos abraçar os coleguinhas ou dar aquele beijo na professora”, conta a professora Mary Baniski, da Escola Municipal Alda dos Santos Rebonato, que agora dará aulas com máscara de rosto e face shield (máscara de acrílico).

Quatro unidades com alterações de data

Entre todas as 152 unidades de ensino, quatro delas terão alterações na data de retorno. A Escola Municipal Professor Faris Antônio Michaele voltará com parte das turmas, por estar em obras. Na Escola Prefeito Ernesto Guimarães Vilela, o retorno será após o término de obras no telhado – nos dois casos, o cronograma foi alterado devido às chuvas de janeiro e fevereiro. Já outras duas unidades novas, no Conjunto Habitacional Costa Rica, também iniciarão em março: O CMEI está sendo finalizado pela construtora, enquanto a nova escola está em processo de alocação dos funcionários.

Em todos os casos, a previsão de retorno presencial é para março. Todos os alunos permanecerão no ensino remoto, retirando as atividades normalmente nas escolas. A data do retorno será informada aos pais pelas equipes gestoras.

Informações e imagens: Divulgação/PMPG

Digiqole ad

Notícias Relacionadas