24 de setembro de 2021

(42) 99838-3791

Últimas notícias

Deputada Aline Sleutjes explica votação que resultou em aprovação do “Fundão”

 Deputada Aline Sleutjes explica votação que resultou em aprovação do “Fundão”

Parlamentar explicou que votação em separado de R$ 5,7 bilhões não foi permitida pela Mesa Executiva da Câmara

Das assessorias

A deputada federal Aline Sleutjes participou da reunião da diretoria da Associação Comercial, Industrial e Empresarial de Ponta Grossa (ACIPG), na última segunda-feira (19), e prestou esclarecimentos a respeito da votação da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), que incluiu um acréscimo no valor do Fundo Eleitoral para o próximo ano. 

A parlamentar explicou que votou favoravelmente à aprovação da LDO, mas que a inclusão do chamado “Fundão” foi resultado de uma manobra que não permitiu que a quota destinada aos partidos políticos pudesse ser votada separadamente. “Tudo que se gasta no Brasil, incluindo o Fundo Eleitoral, tem que estar na LDO e depois na LOA. O que houve de mudança foi que infelizmente o relator fez uma emenda e colocou um dispositivo aumentando em 25% a mais nesses R$ 2 bilhões do “Fundão”. O governo pediu para votar a favor da LDO, e nós como deputados da base temos que atender ao que governo pede. Falamos que tinha um problema com esse orçamento, e ele primeiro é votado na Comissão Especial, e lá foi tentado destacar esse fato do Fundão, para ser votado a parte, mas acabou sendo vencido. O projeto foi a plenário, e novamente foi feito o pedido de destaque, e o presidente da sessão naquele momento, que é o vice-presidente da Câmara (Marcelo Ramos), não deixou destacar, ele ‘tratorou’ o projeto e fez a votação simbólica”, detalhou a deputada. 

Aline Sleutjes informou que há chance de se reverter esta aprovação do ‘Fundão’, com um possível veto deste artigo da LDO por parte do presidente Jair Bolsonaro. Se isto ocorrer, o Congresso terá de se decidir se acolhe ou rejeita o veto presidencial. Para a deputada, esta será a primeira oportunidade para barrar a destinação de R$ 5,7 bilhões para o “Fundão”. “A hora que o presidente for sancionar a LDO, ele veta esse artigo que fala especificamente do Fundão, e este veto volta para o Congresso, e aí se pode manter ou derrubar o veto. E é nessa hora é que vamos ver que deputado é a favor ou contra esse Fundão. A segunda alternativa é quando chegar a Lei Orçamentária. Na LOA é discutido valor, quanto vai ter para cada coisa. E tem como cortar esse valor do Fundão na LOA”, argumentou Aline Sleutjes. 

O presidente da ACIPG, Douglas Fanchin Taques Fonseca agradeceu a participação da deputada e destacou a importância de se ouvir e também pedir esclarecimentos aos deputados a respeito de temas que interessem à sociedade, destacando a necessidade de se exercitar a cidadania. “O verdadeiro cidadão tem a obrigação de se envolver na política. Ele pode até ter a opção de não ser candidato, de se filiar a um partido, mas tem que ter esse envolvimento, saber o que aconteceu, saber como o deputado votou, porque ele votou daquela maneira, cobrar o seu deputado depois que um determinado assunto foi votado, que foi o que nós fizemos aqui hoje, dar sugestões, ideias para aquilo que entende ser o melhor a ser feito”, destacou.

Informações e imagens: Divulgação/ACIPG

Digiqole ad

Notícias Relacionadas